01 abril, 2007

Espera

Janela...
Lua já apareceu. A noite já instalou-se. Luzes espalhadas pela cidade, estáticas ou movimentando-se nesse vai-vem vermelho-alaranjado que não pára.
Um instante de contemplação... como é bom ver a lua. Céu claro, noite perfeita. Noite? Nossa, já é noite.
Perdera tanto tempo arrumando os cabelos, não conseguia decidir se os prendia ou os deixava soltos pra que ele notasse a nova cor - que, cá pra nós, estava deslumbrante. Um misto de chocolate e mel - 'Não é possível que ele não goste', pensava ela dando uma última olhadinha no espelho pra apreciar sua nova moldura que lhe ornava o rosto e o corpo ainda somente de lingerie, que por sinal escolhera cuidadosamente.
Pele já hidratada. Aquele cheirinho do sabonete de erva-doce misturado ao aroma do hidratante tão delicadamente espalhado pelo corpo.
Unhas feitas, uma cor clarinha. As mãos se encontrando, seguindo pelo corpo, fazendo daquele ritual um momento de reencontro dela com ela mesmo. As mãos dele é que seriam o ideal... Mãos? Dele?? A hora... Nossa! Correr.
Arrumara o vestido. Nem acreditava que tinha conseguido essa 'obra-prima' na lojinha do shopping. Vermelho, decotado, com uma fenda na perda. Nada muito profundo, mas bem ao seu estilo. Era um jogo de mostra-esconde que ela sabia que ele adorava.
Olhos pintados. Sombra. Rímel - ah! Rímel não pode faltar. Deixa o olhar mais marcante. Lápis.
Boca delineada. Hummm... ele adorava aquele batom com gosto de chocolate. Mas onde está? Pânico. Onde se meteu esse batom? Busca rápida na gaveta. Gaveta fora. Tudo espalhado na pia. Cadê meu batom???!!!!! Um quase desespero. Lembrança. Na bolsa!!!! Ufa! Isso, no estojinho da bolsa. Finalmente boca pintada. Perfeita...
Brincos. Sua correntinha preferida - a que ele lhe presenteara, a que tinha um coração.
Sandálias, altas, perfeitas. Pés impecáveis. Isso era ponto de honra!
Perfume... nos lugares certos. Pulsos, gotinhas no pescoço, seios, atrás dos joelhos, e... bom, aqui também. Olhar sapeca. Risos solitários. Pronto... tudo perfumado. Mais risos.
Uma última olhadinha no espelho. Isso. Tudo no lugar.
Espera. Não caiu bem o cabelo preso. Droga!! Escova. Um pouco mais pra cá. Pronto. Solto! Muito melhor.
E minha bolsa? Minha bolsa????? Ahhh! No banheiro, por causa do batom. Prontinho. Chaves, celular, batom, estojinho, uns lencinhos de papel, cartões. Momento! Esqueci algo? Não. Tudo em ordem.
Finalmente a porta do quarto se abre. ela já até sabe o que vai ouvir. Mas muni-se do seu melhor sorriso, capricha na olhada e desce a escada.
Lá em baixo ele já vai virando e dizendo o de sempre:
- Oh! Graças a Deus! Achava que teria que chamar uma equipe de resga.... Nossa... que linda! Acho que conheço essas pernas... Seria capaz de esperar até um ano se fosse necessário (Cara de safado - risos).
Os olhos finalmente se encontram. Os bem marcados dela com os então famintos dele. A pergunta que ela não poderia deixar de fazer.
- Valeu a pena esperar um pouquinho?
- Um pouquinho? Risos
- Ah! Não foi tanto assim!
- Claro que valeu, sempre vale!
Um beijo. Cheirinho no pescoço.
- Humm, que cheiro bom!
Mais um beijinho.
- Tem certeza que quer sair? risos
- Tenho sim. Vamos.
- Tá! Só mais um beijinho.
Um abraço. Um beijo mais prolongado. Sussurro.
- Boca gostosa. Sempre gosto desse batom.
Mãos atrevidas passeando pelas costas, sentindo a maciez daquele vestido vermelho.
- Vamos nos atrasar! Você estava tão apressado.
- É?
Outro beijo. Mãos mais atrevidas agora passeando pelas coxas até que acham a fenda do vestido e a brincadeira de mostra- esconde começou.
Uma dança bem ritmada começa. Parede. Mãos. Pele. Maciez. Perfume. Boca. Gosto. Perfume.
O vestido e a boca fazem caminhos semelhantes indo de baixo pra cima, até o vestido jazer num canto da parede.
A boca pintada agora pintava dois rostos. Os cabelos pousam nas mãos dele. Os que antes foram tão cuidadosamente arrumados, passeiam soltos e em desalinho pelas mãos dele. Ela sequer se importa.
Coxas coladas, encaixadas. Bocas grudadas. Línguas entrelaçadas.
Sussurro.
- Acho que vamos nos atrasar um poucos mais.
Ambos riem
Mais beijo. Carinhos. Carícias. Já não sentia a lingerie. Aliás, que lingerie?
Ela desvencilhando-se dele e, mordendo o lábio daquele jeito que só ela sabe, com aquela cara de quem já sabia o que aconteceria, toma o rumo da escada, deixando ele apreciar aquelas pernas e coxas grossas que se encaminhavam devagar dando aquele rebolado marcado às nádegas gostosas que lentamente brincavam com os olhos dele. E enquanto ela volta ao quarto de onde ela saíra já não sabe quanto tempo atrás, ele pensa: 'Quem se importa com atraso? Quem se importa em sair?'
Ele corre em rumo da escada e no alto, no quarto, como em uma torre de princesa, encontra a Lua nua aparecendo e sendo emoldurada pela janela aberta e finalmente, tudo o que ele mais quer:
A mulher por quem ele esperaria a vida inteira... ali, deitada, gostosa, naquela lingerie, esperando que suas mãos de homem e sua boca faminta desvendem cada segredo que ela escondeu no próprio corpo durantes aquelas horas e horas se arrumando.
E ela? Ah... Quem disse que ela se arrumara pra sair?

por Cau Alexandre

No player
Aretha Franklin e George Benson - Love all the hurt away

10 comentários:

  1. minhanossinhoraaaaa....
    tirando o ar, heim, choquisss.. ui

    pois é, né... e quem disse que a gente se arruma prá sair? ai ai.. rsrs

    Beijos lindona... ótimo dia aí

    ResponderExcluir
  2. Bom dia, amada!

    Aaaaaaaaaaaaaaaaaaaaah, mopaidocéuuuuuuuuuu...indo correndo me arrumar...rsssss

    Érica já disse tudo..quem disse q a gente se arrumar prá sair? quem? quem?

    Pois é ..te digo...como subestimam a inteligência feminina...rs

    beijos..amo-te

    ResponderExcluir
  3. Sempre sedutora, né? Uhnnnnn!


    Desculpa a demora (só acesso no trabalho; e nem sempre dá pra navegar calmamente nesse seu mar e na net)

    Bjo!

    Obrigado pelas visitinhas!

    ResponderExcluir
  4. Cau, amei esse texto.

    Sedutor e inteligente, acima de tudo bem feminino, bem com jeitinho de mulher.
    De facto, os homens desconhecem muitos dos segredos, temos sempre um propósito bem definido no que fazemos.. e nem sempre a produção total, implica que se tenha sequer pensado em sair de casa (risos).

    Beijos,
    óptima Segunda.

    ResponderExcluir
  5. P@ulo6:38 PM

    Hummm...
    Lindo texto cacau.
    Mas preciso ir. ]
    Estou aqui contando os minutos que faltam para o meu amor descer a escada rsrsrs...
    Tenha uma linda semana minha querida cacau.
    Beijos.
    Byeee!!!

    ResponderExcluir
  6. Menina, vc me deixou sem jeito... enquanto eu lia tudo isso daqui.

    Aiai.. que coisa!

    ;)

    bj

    ResponderExcluir
  7. Uau.......
    Nao aguentei de curiosidade, e li antes do almoço......
    Que loucura, realmente a conquista da rainha, ela faz o planejamento, conduz sua vitima para o que ela realmente quer......
    Ela jamais quis sair, e conquistou aquilo que queria.....
    Jogada de mestre.....

    Beijokas.....

    PS: Definitivamente, essa deve ser uma das jogadas......rsss

    ResponderExcluir
  8. As veses é preciso perder para dar valor
    É preciso chorar pra aprender a amar
    É preciso confiar para se entregar
    E ainda assim a grande verdade é que,
    É preciso ouvir para nunca gritar....

    Todos irão sofrer um dia, para saber,
    O verdadeiro sentido da felicidade!
    O verdadeiro sentido do amor!

    Se sentir saudade: PROCURE
    Se sentir vontade: FAÇA
    Se sentir medo: LUTE
    Se perder: ESQUEÇA
    Se gostar: Viva

    Lembre-se nunca é tarde para recomeçar à buscar a FELICIDADE!!!!

    ResponderExcluir
  9. Definitivamente as mulheres são poderosas de uma forma indiscutível e avassaladora.
    Um sorriso, um único olhar feminino é capaz de desmontar um pobre homem como eu...
    E me rendo à esse poder sem discutir.
    Porque vocês sabem bem como cuidar de nós, e nos fazer felizes de fato.

    Gostei muito disso que escreveu.

    Beijos ternos.

    ResponderExcluir
  10. Muito bom o blog. Adorei a sua forma de escrever... fascinante mundo das mulheres. :)

    ResponderExcluir

Olá! Feliz que você queira deixar um rastro nas águas desse Mar de Palavras®. Gosto de lê-los e saber como cada um sente ao ler o que aqui eu exponho a vocês.
Fiquem sempre à vontade... mas é bom lembrar:

Os comentários aqui publicados são de exclusiva e integral autoria e responsabilidade dos leitores que dele fizerem uso. Reservo-me, desde já, o direito de excluir e/ou não publicar comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos sem a devida identificação de seu autor (nome ou nick e endereço válido de e-mail) também serão excluídos.

... εϊз "Não se preocupe em entender. Viver ultrapassa todo entendimento" (Clarice Lispector) εϊз ...