11 março, 2008

Conversinha...


— Sabe Coração... Fico aqui pensando, pensando. Tentando entender por que por mais que doa sentir, nunca deixamos de tentar... acreditar... querer. Porque mesmo sabendo que sofremos com a saudade e que as histórias são sempre parecidas e que, na maioria, têm o mesmo fim, ainda queremos tentar novamente... e novamente... e novamente?

— Diz pra mim: Vive-se pela quantidade de vezes que o coração bate ou pela quantidade de vezes que ele dói?

— É, Coração, tens razão... e quanto mais acelerado você bate, mais essa sensação de estar viva invade a gente.

— Então apenas viva... quem sabe um dia de cada vez. Geralmente só se sente o sabor quando se experimenta em pequenas porções.

— Então, por que não? Não é, Coração?

Cau Alexandre


No player
Daniela Mercury -
Anjo

3 comentários:

  1. Cau,


    que foto mais linda!

    E teu texto, essa conversa com o próprio coração, é sempre fundamental.

    Hoje escrevi isto de manhã:


    O coração é um jardim que tem aorta. Por isso é que tem flores e pepinos.


    Abraços, flores, estrelas!

    ResponderExcluir
  2. Por que não, né coração? =)
    O problema é que não dominamos nossos próprios corações.
    Coração é um ser com vida e desejos próprios, um horror isso...

    Beijocas pra ti.

    ResponderExcluir

Olá! Feliz que você queira deixar um rastro nas águas desse Mar de Palavras®. Gosto de lê-los e saber como cada um sente ao ler o que aqui eu exponho a vocês.
Fiquem sempre à vontade... mas é bom lembrar:

Os comentários aqui publicados são de exclusiva e integral autoria e responsabilidade dos leitores que dele fizerem uso. Reservo-me, desde já, o direito de excluir e/ou não publicar comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos sem a devida identificação de seu autor (nome ou nick e endereço válido de e-mail) também serão excluídos.

... εϊз "Não se preocupe em entender. Viver ultrapassa todo entendimento" (Clarice Lispector) εϊз ...