01 fevereiro, 2010

Da Luz dos Olhos à Janela da Alma I

QUARTETO I - DA VIDA DAS PALAVRAS...
Cau Alexandre

Palavras que saem trôpegas
Carregadas por mãos cansadas
Olhos anuviados de tempo
Ouvidos surdos de calma



PENSAMENTO Nº 1 -
Há momento que nao basta apenas não escrever. É preciso entender que algumas palavras nascem por conta própria, rasgando o mais profundo silêncio do poeta. Escorregam por entre os dedos, carimbam o papel. Essas têm vida própria... Essas dão sentido ao poeta!

Cau Alexandre

No Player
Evanescence -
Listen to the rain

2 comentários:

  1. Olá, antes de mais nada, parabéns pelo blog!
    E por acha-lo de muito bom gosto é que o/a convido a vir conhecer meu projeto.

    Aguado tua visita!

    Forte abraço!

    ResponderExcluir
  2. bELÍSSIMO, E EXATO!
    aLGUMAS PALAVRAS SAEM POR CONTA PRÓPRIA, OUTRAS FICAM PRESAS POR NÃO SABER COMO CHEGAR AO PAPEL.


    "Olhos anuviados de tempo
    ouvidos surdos de calma"


    LINDO....

    ResponderExcluir

Olá! Feliz que você queira deixar um rastro nas águas desse Mar de Palavras®. Gosto de lê-los e saber como cada um sente ao ler o que aqui eu exponho a vocês.
Fiquem sempre à vontade... mas é bom lembrar:

Os comentários aqui publicados são de exclusiva e integral autoria e responsabilidade dos leitores que dele fizerem uso. Reservo-me, desde já, o direito de excluir e/ou não publicar comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos sem a devida identificação de seu autor (nome ou nick e endereço válido de e-mail) também serão excluídos.

... εϊз "Não se preocupe em entender. Viver ultrapassa todo entendimento" (Clarice Lispector) εϊз ...