12 abril, 2012

A Dois




DEPOIS DE AMAR...

Cau Alexandre

Num murmúrio lasso e farto
De bemóis úmidos e cansados
Sente o instante esvair-se manso
Como o vôo das aves ao entardecer


Já não há movimento ou som
Já não se vai a lugar algum
Só se deseja ficar ao menos
Mais trinta segundos que seja


E num doce e delicado instante 
Com um pálido suspiro esvaído
Regressa-se da própria morte
Como um par à vida ressurgindo



copyright©caualexandre2012

No Player

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Olá! Feliz que você queira deixar um rastro nas águas desse Mar de Palavras®. Gosto de lê-los e saber como cada um sente ao ler o que aqui eu exponho a vocês.
Fiquem sempre à vontade... mas é bom lembrar:

Os comentários aqui publicados são de exclusiva e integral autoria e responsabilidade dos leitores que dele fizerem uso. Reservo-me, desde já, o direito de excluir e/ou não publicar comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos sem a devida identificação de seu autor (nome ou nick e endereço válido de e-mail) também serão excluídos.

... εϊз "Não se preocupe em entender. Viver ultrapassa todo entendimento" (Clarice Lispector) εϊз ...