24 fevereiro, 2005

Em mim...

"A gente escreve para despistar a morte e destruir os fantasmas que nos afligem, por dentro"
Eduardo Galeano
Em mim...
Na bruma do meu sonho te vi...
Vi-te sentado entre as pedras que rodeavam o jardim do meu devaneio
Olhavas para mim com um olhar doce e distante, como um delírio que não tem fim
Cheguei perto e sentei-me ao teu lado e te inclinastes para mim, como quem quer sentir o perfume dos meus cabelos
A imagem desse momento não me sai da cabeça
Teus olhos fechados... boca semi-cerrada... tão perto... tão perto... tão perto
Procuro teu rosto com uma dúvida dilacerante... como pode estar tão perto... como
Permito que sintas meu perfume, em troca de tua presença
Teus olhos abrem, encontram os meus, encontram a minha alma
Também sendo a tua, esqueço-me de tudo em volta, esqueço-me do mundo, esqueço-me de mim... e vejo... e sorrio... pois vejo a mim em ti
E num reflexo repentino vejo teu sorriso
E nas únicas palavras deste momento, sussurradas e suaves como o vento, dizes:
“Me vi dentro de ti”...
Assim acordei...
Com a certeza ainda mais certa
Que tu não habitas só na bruma do meu sonho
Estás incrustado em mim...

por Cau Alexandre


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Olá! Feliz que você queira deixar um rastro nas águas desse Mar de Palavras®. Gosto de lê-los e saber como cada um sente ao ler o que aqui eu exponho a vocês.
Fiquem sempre à vontade... mas é bom lembrar:

Os comentários aqui publicados são de exclusiva e integral autoria e responsabilidade dos leitores que dele fizerem uso. Reservo-me, desde já, o direito de excluir e/ou não publicar comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos sem a devida identificação de seu autor (nome ou nick e endereço válido de e-mail) também serão excluídos.

... εϊз "Não se preocupe em entender. Viver ultrapassa todo entendimento" (Clarice Lispector) εϊз ...