13 março, 2007

À flor da pele...

SENTIDOS...
Eis o império mais doce e mais cruel
Inteiramente situado dentro do ser!
Sem muros, sem amarras
Faz-nos Imperadores e escravos



Sentir...
A toque suave da mão que te segura
e te apresenta o mundo
A doce voz que te embala o sono
O aroma de quem te alimenta de carinho,
te prepara o ninho e te aconchega




Sentir...
As alegrias da inocência que te fazem sorrir
As tristezas das separações
que te fazem forte
As surpresas das descobertas
que te causam pasmo, brilham nos olhos
e te fazem feliz


Sentir...
O entusiasmo da amizade
que enche o coração
As iras que te fazem inconstante
O gosto agridoce das primeiras paixões
que preenchem os sonhos




Sentir...
A doçura do primeiro beijo
O rubor da primeira paixão inocente
A vergonha de sentir
e não saber disfarçar nem conter




Sentir...
A paixão que dilacera a alma
A loucura que despedaça a calma
A tristeza que mata o ser
e ensina a renascer





Sentir...
O desejo que corta o seio
e alimenta os olhos
A umidade que aquece a carne
A secura que molha a boca,
que tira a roupa, e faz gemer




Sentir...
O pulsar do corpo lascivo que fecha os olhos
Que amarra os pulsos pra soltar a mente
Que puxa a nuca
Que beija a boca
Que morde




Sentir...
A cadência da dança
que arrepia a corpo
Desejo latente
Corpo ardente
Flor da pele
Insanidade,


Sentir...
A paz dos corpos suados
Dos beijos molhados
O prazer bebido em goles
Quase morte... sem sentidos
Insensível... Quase vivo...





Sentir...
A alegria da vida que renasce
A tristeza da vida que se vai
A saudade que nunca passa
O movimento que recomeça





Sentir ...
O tempo que corta tal qual lâmina fria
Que pesa nos ombros
Que abre a mente
Que enche a alma
Que traz a calma buscada a vida inteira



Sentir...
Que é nesse carrossel de sensações
e sentimentos
Nessa corda bamba que nos impulsiona
para o lado que o vento sopra
Que nos equilibramos durante a existência
Entre prazeres e tristezas
Agonias e gozos
Iras e paz




Mas é neste império de sentidos, de sentir, de querer,
que vivemos como imperadores e súditos
e, sendo nós, meros viventes
Não podemos abrir mão de tamanho tesouro
Pois de que adiantam palavras
Se é sentindo que estampamos em nosso ser
Seja dor ou prazer
Surpresa ou ponderação
Aquilo que realmente somos?


por Cau Alexandre

Imagens: Gettyimages

No Player:
Nina Simone - Feeling Good

7 comentários:

  1. E o que somos nós senão sentidos dentro e fora? dizem que somos 5.. eu acredito que somos milhares... grudados, amarnhados.. uns que fazem sentir outros... uns adormecidos que acordam do nada...outros encapsulados, prontos prá eclodir.

    Sentidos.. somos todos sentidos...e se sentir for um castgio, eu quero ser punida prá sempre.

    Beijos minha chocolatinha favorita

    ResponderExcluir
  2. Olá, moça!
    Noooossa, boas imagens e bons textos. Se eu tivesse pc em casa e tempo faria algo tão artístico (mentira: se eu tivesse sensibilidade pra tanto)

    Nem me fale em sentir... ando que pareço em carne viva!

    Obrigado pelas palavrinhas, moça do mar!

    ResponderExcluir
  3. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  4. Este é um daqueles textos que precisamos reler mil vezes para saborear bem cada palavra.
    Adorei. Adorei. Adorei.
    Tal como adoro todo o tipo de pessoas capazes de viver à flor da pele, sem armaduras nem máscaras. Pessoas que sejam um mar de sentidos e sensações sem fim.
    E, arrisco dizer que toda a sensibilidade inerente aos textos do Mar, só pode vir de alguém bem à flor da pele como eu. =)

    Beijosssss

    P.S. O outro comentário tinha um erro, por isso apaguei. =))

    ResponderExcluir
  5. Amada!!

    Vejo q o "parto" demorou mas valeu a pena!!! Belíssimo! que imagens!!!!!!!! Tantas sensações, tanto sentir, e por vzs ficamos parados esperando.

    Ah..amada. Hj meu post tá um tanto vc sabe como...aliás acho q só vc entenderá. :(

    Beijo, queridona da Dri

    ResponderExcluir
  6. Cau, você sim é um império lotado de sentidos. Onde já se viu fazer um negócio desse com a gente? (suspiros...).
    Maravilhoso. Me deu vontade de voltar a sentir, sabe.
    Beijão!

    ResponderExcluir
  7. Valdigersia6:18 PM

    Cauzinha...

    Tá uma delícia de ler...de ver...dá até pra sentir!
    Sabor de imaginação...(então tem o sabor q agente queira sentir)!

    Nada invólucro...
    Arreganho total, exatamente como seu sorriso...amei!

    Volto viu!
    Bjks*******

    ResponderExcluir

Olá! Feliz que você queira deixar um rastro nas águas desse Mar de Palavras®. Gosto de lê-los e saber como cada um sente ao ler o que aqui eu exponho a vocês.
Fiquem sempre à vontade... mas é bom lembrar:

Os comentários aqui publicados são de exclusiva e integral autoria e responsabilidade dos leitores que dele fizerem uso. Reservo-me, desde já, o direito de excluir e/ou não publicar comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos sem a devida identificação de seu autor (nome ou nick e endereço válido de e-mail) também serão excluídos.

... εϊз "Não se preocupe em entender. Viver ultrapassa todo entendimento" (Clarice Lispector) εϊз ...