09 junho, 2007

Sobre Inferno Astral e Maturidade

Ok! Ok!

É notório que estou quase que absolutamente desprovida de paciência (o que não é tão incomum assim. Tenho temperamento sangüíneo, meu povo, quase hemorrágico, por assim dizer. O que vocês queriam????
Mas não é sinônimo de mau humor, não mesmo. É sinônimo de fase. Inferno Astral, saca?
É... o tal do 'inferno astral', que confesso nunca ter entendido bem, mas parece ser o período que antecede os festejos de aniversário. Mas, pô... eu adoro fazer aniversário!!!
Aniversário pra mim tem gosto de tempo passado, e isso é bom. Lembranças. Novos amigos feitos durante um ano. Velhos conhecidos que permanecem na minha vida.
Aniversário também tem gosto de futuro, mais velha, um ano a mais, maturidade. A certeza que ao menos vou aprender a ponderar melhor naquilo que um dia fiz precipitadamente (se bem que esta parte não é muito condizente, já que amadureci aos 15 e retornei à adolescência aos 27... Não me arrependo do que fiz em sã consciência, nem tenho crises de 'desejo' de retorno. Vivi. Ponto.)
Sempre gostei da idéia de crescer. Independências, maturidades, certezas. Aos 32 deveria parecer mais fácil que aos 15. Mas, sabe-se lá porque, não o é. Mas quem se dá por rogado aos 15?
Chego aos 32 com um mínimo de equilíbrio exigido a essa tal maturidade buscada, e mais um tanto, pra afiar o pensamento, acertar o cérebro e alinhar o coração (confesso que essa última ação não dá certo... quase nunca).
O mais curioso é que mesmo chegando aos 32 ainda encontro pessoas que acham cedo demais para uma mente madura. Se não o dizem em palavras, mostram em atos. E eu me pergunto o que este povo entende por maturidade, equilíbrio, perspicácia.
Meu inseparável amigo Aurélio Buarque de Holanda me disse que maturidade é época em que se dá o processo de transformação e desenvolvimento para o exercício pleno de suas funções. Perfeição, excelência, primor.
Começo a achar que é uma tremenda balela isso tudo. Pois que se chega aos 40, 50, 60 (e por aí vai) ainda imperfeito, incompleto, inconstante, impertinente, aturdido, indeciso.
Dizendo-se decididos são capazes das maiores tolices possíveis e imagináveis em nome de grandes sentimentos, e a bem da verdade, de sentimentos pequenos e mesquinhos na maioria das vezes.
Que raio de maturidade é essa que já não aperfeiçoa?
Rostos e bundas estão mais jovens e firmes. Seios mais rijos. E o intelecto anda a envelhecer ainda na fase de embrião.
Perdoem-me os puritanos do linguajar, mas que porra de velhice é essa que me aguarda rodeada de um monte de velhas burras cujos peitos e a bunda não murcham?
Nada contra. Odeio minhas celulites, tenho ódio da minha barriga que teima em não obedecer ao regime e sumir, detesto terminantemente esse culote (discreto) que resiste às horas na academia e, além disso, preciso emagrecer dois quilos, como toda mulher que se preze. Mas nada disso é mais bem cuidado que minha inteligência.
Racional? Gargalhando com vocês... Não posso dizer que sou, pois meus amores, minhas paixões, minhas loucuras, meus sentimentos sempre depõem contra mim. Mas e daí, isso não me tira a capacidade do pensamento aguçado, perspicaz, irônico, forte, certeiro, crítico, equilibrado.
Mesmo sendo um poço de sentimentos (e grande parte sendo contraditório) pode-se sim ter um cérebro funcionando em tempo integral. que ri de si, que ri de outros, que critica saudavelmente os erros cometidos e crê que o dia de amanhã é um novo momento de se aprender, e possivelmente, errar de novo.
Eu me recuso a acreditar que maturidade só chega aos 90, quando tudo já caiu - sim senhoras e senhores, TUDO cai. Não há botox nem silicone que resista ao impiedoso tempo.
Eu me recuso a acreditar que a maturidade seja algo tão imensuravelmente difícil a seres pensantes como é esta raça humana.
Eu, terminantemente, me recuso a acreditar, que pra ser maduro eu tenha que andar em um extremo... sisudo, azedo, sem graça, mal humorado. Ou que pra evitar mostrar a maturidade que eu deveria ter, eu deva me comportar feito uma retardada mental incapaz de medir os próprios atos, ou me infantilizar de mente pra perder uns 10 'aninhos' diante dos outros.
Ser maduro deveria ser a capacidade de ligar as duas pontas das vida, adulta e infantil, conseguindo entender as coisas ao redor, escolhendo o caminho divertido por opção e não mais por simples sorte. Ser maduro deveria ser capaz de rir dos defeitos, entender os erros, buscar os acertos sem precisar culpar ninguém. Ser maduro devia ser frágil sem que isso fosse um sofrimento, ser forte sem que isso fosse um fardo, ser apaixonado pela vida e aos menos tempo desapegado dela. Ser maduro devia ser a capacidade de sentir-se com 15 anos de idade, em um corpo de 30 e com uma mente de 70.
Então, diante destas ponderações, estou eu.

por
Cau Alexandre

P.S.: Continuo ouvindo blues... já não há o que pensar sobre a morte da bezerra.

No player
BB King - Blues At Midnight

Obs:
Queridos Navegantes...
Fazendo uma experiência aqui...
Antes de uma nova postagem vou responder
a todos os comentários.
Achei interessante, e reforça aquela minha idéia
de que estamos aqui num bom e gostoso papo entre amigos
(Na verdade já o fiz hoje no post 'Contabilizando').
Espero que seja algo bom e que acrescente
só boas coisas e boas risadas.
(Meu Deus!!! O que o tédio não faz!.. risosss)
Beijos
;oP

13 comentários:

  1. Queridos Navegantes...
    Fazendo uma experiência aqui...
    Antes de uma nova postagem vou responder a todos os comentários. Achei interessante, e reforça aquela minha idéia de que estamos aqui num bom e gostoso papo entre amigos (Na verdade já o fiz hoje no post 'Contabilizando').
    Espero que seja algo bom e que acrescente só boas coisas e boas risadas.
    (Meu Deus!!! O que o tédio não faz!.. risosss)

    Beijos

    ;oP

    ResponderExcluir
  2. Já diria um ditado:
    "O que seria das grandes produções se não fossem precedidas pelas crises?!"
    ;)

    Como uma onda... tudo muda o tempo todo no mundo!!! [plagiando Lulu]

    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Amada,

    um fragmento do seu texto resume p mim o meu cometário:

    " Ser maduro deveria ser a capacidade de ligar as duas pontas das vida, adulta e infantil, conseguindo entender as coisas ao redor, escolhendo o caminho divertido por opção e não mais por simples sorte. "

    E com sua licença será meu post de hj.

    Além das nossas longas conversas, tenho aqui mais um lugar p refletir.

    Eu te OMO muitão"""""

    ResponderExcluir
  4. Vc é madura o suficiente prá deixar a criança dentro de vc falar sempre, sem vergonha de existir.

    Beijo.

    ResponderExcluir
  5. Bem isso, Cauzinha...
    A maturidade não está na idade mas nas atitudes, nas ações perante as situações que nos são apresentadas, e quer saber? Notei que as situações se repetem muito, o que muda é a consequência de nossas reações à elas, me entende?
    Isso demonstra ou maturidade ou ainda insegurança.
    Mas uma coisa é certa, com o tempo temos cada vez menos medos.
    Gosto de você, viu?
    Sou seu fã =)

    Tem um agradecimento pra você em meu blog, tá?
    Beijinhos.

    ResponderExcluir
  6. E pode voltar lá e dizer algo hahahaha
    AMEI seu sorriso mas quero suas palavras aaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa
    Você é um barato, menina fofa =)

    ResponderExcluir
  7. ... lindo "ponderar".. aliás.

    Me alegra saber que, mesmo sem se sentir com 15 anos de idade, em um corpo de 30 e com uma mente de 70, continuas com seu bom gosto musical.

    bjo de poeta!

    ResponderExcluir
  8. Ninguém definiu a idade a partir da qual se fica maduro, isso significaria que todos teríamos que apreender o mundo à nossa volta da mesma forma e ao mesmo tempo, coisa que ambas sabemos, jamais acontece.

    Acredito que as vivências, estilos de vida e experiências nos vão "moldando". Todos aprendemos qualquer coisa todos os dias, e cada um de nós faz uso disso da forma que acha mais correcta.

    Quer saber?
    Eu concordo com a tua definição de amadurecimento; acho que estás completamente correcta em tudo o que disseste no texto.
    E acrescento que, só alguém que está no caminho certo de amadurecimento poderia expressar-se desta forma.
    Talvez não exista um limite para o amadurecimento, uma vez que a estrada da vida é inconstante e a cada momento precisamos (re)adaptar e (re)aprender. Mas existe um bom caminho, e com certeza, já o encontraste.

    Beijo brasileirinha linda ;)

    ResponderExcluir
  9. Lol!
    Fabuloso!
    Não posso deixar de concordar em pleno com o texto.
    A sociedade em que nos inserimos está cada vez mais banal e fútil. Valoriza cada vez mais o aspecto fisico em detrimento duma conversa inteligente e que nos abre os horizontes. Que pobreza! Que tédiooooooooo!
    Ainda bem que há pequenas ilhas (assim como a tua) para quebrar este marasmo!
    Bjs

    ResponderExcluir
  10. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  11. Paula: Tembém dizem que depois da tempestade sempre vem... a inundação... risos
    Esperemos que as palavras inundem... 'como uma onda no Mar'.

    Dri:Já agradeci lá no Deserto, e agradeço novamente... você sabe que também amo você minha amiga. (E depois da conversa de ontem eu posso dizer com mais propriedade... "nois semu fodona e o resto não dá nem pra fichinha"... risosssss.... ô duas amalucadas.

    Erikota: Amadona Vicx do meu coração... vc me vê melhor que muita gente, por isso eu te amo, minha amiga do coração (Vamos fazer nossa vilinha... só gente boa!!!)

    Marcelo:É por aí... crescemos quando passamos a ter ciência que toda ação tem sim uma reação proporcional... resta saber se a gente quer pagar o preço.
    Agradeço os elogios, querido. E sobre a resposta... guardando uma palavras pra uso próprio e individual... (gargalhando)...

    Jeff:Adoro quando o leio no Mar, poeta querido. E sabe quanto dá essa soma? Nem eu... risosss
    Vou chegar nunca a essa idade ideal... é adorável essa oscilação saudavelmente consciente (eu disse consciente.. risos)
    Beijo

    Aninha:E estamos no caminho Aninha... Nos reinventando a cada dia, aprendendo a cada passo, pois o importante é "o caminhar".
    Beijos 'portuguinha' do meu coração.

    Chipichipi - AnaBela :Isso mesmo... difícil esse momento que vivemos socialmente. Resta a esperança que de 'gota em gota', sobreviva vida inteligente.
    Beijo... bom lê-la aqui sempre.

    ResponderExcluir
  12. €aµ, gostei da perte em que tenta dar um requinte ao conceito de maturidade, concordo com o seu toque sobre o assunto, é com total respeito que roubo um pouco do seu mar de palavras sobre o assunto, me desculpe por isso... citarei seu blog como uma referencia aos leitores do meu blog, pois acredito que somente assim poderemos cosntruir um bom relacionamento de blogeiros

    ResponderExcluir

Olá! Feliz que você queira deixar um rastro nas águas desse Mar de Palavras®. Gosto de lê-los e saber como cada um sente ao ler o que aqui eu exponho a vocês.
Fiquem sempre à vontade... mas é bom lembrar:

Os comentários aqui publicados são de exclusiva e integral autoria e responsabilidade dos leitores que dele fizerem uso. Reservo-me, desde já, o direito de excluir e/ou não publicar comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos sem a devida identificação de seu autor (nome ou nick e endereço válido de e-mail) também serão excluídos.

... εϊз "Não se preocupe em entender. Viver ultrapassa todo entendimento" (Clarice Lispector) εϊз ...