10 maio, 2010

Da chuva e da seca... da vida!



LATÊNCIA

Cau Alexandre

Verte o coração a lágrima quente
Chove na terra do sentimento
Nuvem cinza, tristeza líquida
Não há luz, não há certeza

Se é dia ou se a noite já chegou
Na terra ensopada, empapada de querer
Os pés fundos na lama plantam
Tristeza, incerteza, dormência e espera

Sentidos dolentes, de barro sujos
Largando pequenas sementes no vão do tempo
E a esperança cobriu a terra até céu secar

Corpo ardente, sereno sentimento desabrocha
Desperta das profundezas a certeza
Que nem a dor dura para sempre




No Player
Danielle Licari -
Histoire Do

Um comentário:

  1. Assim, desse jeito...

    "Até o coração se atrapaia,
    uma bate a outra faia"

    Beijos, Minha Alma!

    ResponderExcluir

Olá! Feliz que você queira deixar um rastro nas águas desse Mar de Palavras®. Gosto de lê-los e saber como cada um sente ao ler o que aqui eu exponho a vocês.
Fiquem sempre à vontade... mas é bom lembrar:

Os comentários aqui publicados são de exclusiva e integral autoria e responsabilidade dos leitores que dele fizerem uso. Reservo-me, desde já, o direito de excluir e/ou não publicar comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos sem a devida identificação de seu autor (nome ou nick e endereço válido de e-mail) também serão excluídos.

... εϊз "Não se preocupe em entender. Viver ultrapassa todo entendimento" (Clarice Lispector) εϊз ...