10 abril, 2013

O Tempo... As Palavras... E as lembranças!


MEMORIAL DO MAR

Cau Alexandre

Tocam os seus dedos
A parte sensível da minha memória
Rebentações de uma maré bravia
Em pedras pontudas e lacerantes

Histórias táteis afloradas num encontro furtivo
De mãos sombriamente conhecidas
Que se saúdam em irreal fraternidade

Tuas palavras roçam
Nas metáforas inexoráveis da minha lembrança
Trovoada de uma tempestade esquecida
De torrencial chuva que alaga os olhos

Sentimentos imersos num oceano de esquecimentos,
Afogados num vasto mar de palavras
Resgatados de um memorial do espelho


copyright©caualexandre2013


No Player

4 comentários:

  1. Eco!...rs É que a vida reverbera.

    ResponderExcluir
  2. Por isso gostamos tanto dela, né, Minha Alma? bjos

    ResponderExcluir
  3. Esse Mar de lembranças que salpicam palavras na arrebentação!
    Bravo poeta!
    Bjão
    V.

    ResponderExcluir
  4. É o nosso ofício, poeta querida... sentir, lembrar e rebentar.
    Bom você aqui!

    ResponderExcluir

Olá! Feliz que você queira deixar um rastro nas águas desse Mar de Palavras®. Gosto de lê-los e saber como cada um sente ao ler o que aqui eu exponho a vocês.
Fiquem sempre à vontade... mas é bom lembrar:

Os comentários aqui publicados são de exclusiva e integral autoria e responsabilidade dos leitores que dele fizerem uso. Reservo-me, desde já, o direito de excluir e/ou não publicar comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos sem a devida identificação de seu autor (nome ou nick e endereço válido de e-mail) também serão excluídos.

... εϊз "Não se preocupe em entender. Viver ultrapassa todo entendimento" (Clarice Lispector) εϊз ...