15 outubro, 2014

Feliz Dia do Professor... Feliz?


CARTINHA RIDÍCULA

Fortaleza, 15 de outubro de 2014

Cau Alexandre.

Caros Leitores, à vocês escrevo essa cartinha ridícula:

Dizem que ser professor é questão de sacerdócio, de paixão... Mas eu penso que ser professor é um caso de amor.
Daqueles amores tórridos, que duram a vida inteira e por mais que você ache que o amor esfriou, perdeu-se, acabou-se, ainda há uma pequena chama bem lá no fundo queimando, lentamente, bem devagar, bem suave... Até que, de repente, volta a arder.
Ser professor é certamente um caso de amor verdadeiro, e é por isso que nem todos podem ser chamados de Amantes, mesmo amando, e nem de professores, mesmo ensinando.
Como eu sei disso? Porque todo amor verdadeiro é cego, surdo e burro com o seu objeto de amor devocional... Tanto quanto nós somos, caros colegas professores.
Acreditamos no que é raro, difícil, e que beira o quase impossível. Acreditamos na humanidade como sujeito da própria história, e acreditamos que esta história será boa, incomparável, magnífica e superpovoada de bons exemplos.
Acreditamos que o bem vence o mal, que o bom exemplo sempre ficará arraigado nas mentes, que a justiça será feita e que o aprendizado será uma experiência inesquecível.
Mais ingenuamente, acreditamos que a diferença está em como fazemos o nosso trabalho.
Como disse, temos um caso de amor com a Educação. Essa nossa parceira, amante, tantas vezes ingrata, que se deixa dobrar pelos "outros", o sistema, a política, o interesse escuso. Nenhum deles ama verdadeiramente a Educação, mas prometem mundos e fundos pra obterem seu amor.
E nós, professores, esperamos o dia no qual nosso amor cego, surdo e burro prevaleça ante todos esses amores indignos.
Eis meu caso de amor com a educação. Verdadeiro, puro e singelo... Embora muito mal correspondido.
Neste dia 15 de outubro só posso comemorar a certeza que o amor, mesmo pela educação, sempre vale a pena "se a alma não é pequena".
E termino aqui essa cartinha ridícula, de mal traçadas linhas, pois "todas as cartas de amor são ridículas. Não seriam cartas de amor se não fossem ridículas".

Boa sorte!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Olá! Feliz que você queira deixar um rastro nas águas desse Mar de Palavras®. Gosto de lê-los e saber como cada um sente ao ler o que aqui eu exponho a vocês.
Fiquem sempre à vontade... mas é bom lembrar:

Os comentários aqui publicados são de exclusiva e integral autoria e responsabilidade dos leitores que dele fizerem uso. Reservo-me, desde já, o direito de excluir e/ou não publicar comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos sem a devida identificação de seu autor (nome ou nick e endereço válido de e-mail) também serão excluídos.

... εϊз "Não se preocupe em entender. Viver ultrapassa todo entendimento" (Clarice Lispector) εϊз ...