08 julho, 2007

Amor Maduro...

“Se tu me amas, ama-me baixinho
Não o grites de cima dos telhados
Deixa em paz os passarinhos
Deixa em paz a mim!
Se me queres,
enfim,
tem de ser bem devagarinho, Amada,
que a vida é breve, e o amor mais breve ainda...”

(Mário Quintana, in Bilhete)


AMOR MADURO

Artur da Távola
O amor maduro não é menor em intensidade. Ele é apenas silencioso. Não é menor em extensão. É mais definido colorido e poetizado. Não carece de demonstrações: Presenteia com a verdade do sentimento.

Não precisa de presenças exigidas: amplia-se com as usências significantes.

O amor maduro tem e quer problemas, sim, como tudo. Mas vive dos problemas da felicidade. Problemas da felicidade são formas trabalhosas de construir o bem, o prazer.
Problemas da infelicidade não interessam ao amor maduro. Na felicidade está o encontro de peles, o ficar com o gosto da boca e do cheiro do outro - está a compreensão antecipada, a adivinhação, o presente de valor interior, a emoção vivida em conjunto, os discursos silenciosos da percepção, o prazer de conviver,
o equilíbrio de carne e de espírito.

O amor maduro é a valorização do melhor do outro e a relação com a parte salva de cada pessoa. Ele vive do que não morreu, mesmo tendo ficado para depois, vive do que fermentou criando dimensões novas para sentimentos antigos, jardins abandonados, cheios de sementes.

Ele não pede, tem.
Não reivindica, consegue.
Não percebe, recebe.
Não exige, oferece.
Não pergunta, adivinha.
Existe, para fazer feliz.

O amor maduro cresce na verdade e se esconde a cada auto-ilusão, basta-se com o todo do pouco. Não precisa e nem quer nada do muito. Está relacionado com a vida e por isso mesmo é incompleto, por isso é pleno em cada ninharia por ele transformada em paraíso. É feito de compreensão, música e mistério. É a forma sublime de ser adulto e a forma adulta de ser sublime e criança. É o sol de outono: nítido, mas doce.

Luminoso, sem ofuscar.
Suave, mas definido.
Discreto, mas certo.

*do livro: DO AMOR, Ensaio de Enigma

No player
Orlando Moraes -
Lado a lado

9 comentários:

  1. Invade e fim!!!

    Beijooooooooooooooooo amadaaaaaaaaaaaaaaaaaa... pô, meu, to com saudade.. dá o ar da sua Chocolátea graça, por favor? rsrs

    ResponderExcluir
  2. O amor maduro é unico e vivo, crescer junto, viver junto, vivenciar o outro, querer crescer e ser um só......

    Chegar nesse estado é um unico, e magico..........certamente o verdadeiro amor....

    beijoooooss

    ResponderExcluir
  3. Que o amor amadureça mais e mais em nossos corações.

    Beijos linda!
    Tenha uma ótima semana.
    Bye.

    ResponderExcluir
  4. Lindo! Lindo!
    Se todos se lembrassem disto....
    Ah! Como a vida seria diferente (para melhor claro está)!
    É bem verdade! O amor não exige, nós é que o fazemos na senda da perfeição. Esquecemo-nos que mm na imperfeição há perfeição!
    Boa semana
    Beijo grande

    ResponderExcluir
  5. Parece-me que também o amor é um aprendizado.
    Vamos conhecendo inúmeras formas de amor e amar, sofrendo desilusões e, algumas vezes, magoando os outros sempre em busca da tal felicidade e plenitude.
    Até o dia em que encontramos alguém que nos completa e com quem aprendemos a doce maravilha de amadurecer o Amor. Acto que requer cuidados e atenções diárias, mas sobretudo, dedidação, serenidade e liberdade para ambas as partes.

    Beijo Cauzinha.

    ResponderExcluir
  6. .




    O amor maduro reconhece o direito que o Outro tem de fazer suas escolhas.






    Abraços, flores, estrelas..


    .

    ResponderExcluir
  7. Pronto, to preocupada. Dá notícias por favor?

    Beijo

    ResponderExcluir
  8. Marilac7:23 PM

    Que lindo texto, um amor assim é o quero viver..Bjs e obrigada, pois ainda não conhecia este texto do Artur da Tavola!

    ResponderExcluir

Olá! Feliz que você queira deixar um rastro nas águas desse Mar de Palavras®. Gosto de lê-los e saber como cada um sente ao ler o que aqui eu exponho a vocês.
Fiquem sempre à vontade... mas é bom lembrar:

Os comentários aqui publicados são de exclusiva e integral autoria e responsabilidade dos leitores que dele fizerem uso. Reservo-me, desde já, o direito de excluir e/ou não publicar comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou de alguma forma prejudiciais a terceiros. Textos de caráter promocional ou inseridos sem a devida identificação de seu autor (nome ou nick e endereço válido de e-mail) também serão excluídos.

... εϊз "Não se preocupe em entender. Viver ultrapassa todo entendimento" (Clarice Lispector) εϊз ...